As bruxas reinavam Florianópolis. No meio de vampiros, lobisomens e curupiras, os homens precisavam encontrar um espaço de sobrevivência, de forma tranquila e, principalmente, sem perturbá-los. Pelo menos é isso que conta as diversas lendas da Ilha da Magia, apelido dado à terra que, para muitos, é lar de diversas criaturas místicas.

bruxas Florianópolis
As bruxas fazem parte das lendas que dão à Florianópolis um significado mágico – Foto: iStock/Divulgação/Educa SC

Leia mais: Turismo de aventura: 5 atividades que você precisa conhecer em SC

Quase todos os pontos turísticos mais conhecidos da Capital apresentam um passado, no mínimo, curioso. São histórias de corações partidos, assombrações e feitiços que formaram a ilha que conhecemos hoje.

A quem devemos um pouco dessa rica cultura é ao pesquisador e escritor brasileiro, Franklin Cascaes. Nascido na Praia do Itaguaçu, dedicou sua vida ao estudo dos impactos da chegada dos açorianos em Desterro, incluindo os aspectos folclóricos, culturais, suas lendas e superstições.

Conheça agora um pouco da magia de Florianópolis, por meio de lendas que vão mudar a forma que você enxerga lugares emblemáticos da ilha.

Salão de festas das bruxas do Itaguaçu

O salão de festas das bruxas do Itaguaçu faz parte do folclore local – Foto: Gabriel Berka/Divulgação/Educa SC

A Praia do Itaguaçu é um local quase secreto para aqueles que não conhecem a cidade. Localizada no continente, perto do bairro de Coqueiros, possui um cenário único: diversas pedras compõem a paisagem, parecendo estar flutuando sobre o mar.

Por trás de tanta beleza existe um motivo macabro para elas estarem ali. A história é uma das mais conhecidas e celebradas da cidade, compondo a memória coletiva dos residentes do bairro que encontram na praia um espaço de cultura e pertencimento.

O amor proibido de Peri e Conceição

Lagoa da Conceição bruxa
A Lagoa da Conceição, segundos superstições, um dia foi uma bruxa – Foto: iStock/Divulgação/Educa SC

A Lagoa da Conceição é um dos cartões postais mais famosos do Brasil. Com uma beleza espetacular, suas águas salobras possuem uma história de amor e traição familiar, envolvendo outro local querido da cidade: a Lagoa do Peri.

Leia mais: 4 influências africanas na cultura brasileira que você não sabia

Reza a lenda que o indígena chamado Peri e a bruxa Conceição viviam um amor proibido. Tal qual a história de Romeu e Julieta, suas famílias não aprovavam o namoro, querendo separar os dois jovens a todo custo.

Porém, Conceição e Peri não ligavam para a desaprovação e continuavam se encontrando, vivendo um amor escondido. Ou pelo menos era o que eles achavam. As bruxas descobriram e resolveram aplicar um castigo duplo.

Transformaram o Peri e a Conceição em duas grandes lagoas e deixaram elas bem longe uma da outra para que nunca mais pudessem se encontrar. Conceição ficou tão triste que chorou por muito tempo, fazendo as suas águas ficarem salgadas. Já Peri, para declarar seu amor a amada, transformou sua borda no formato de um coração.

Os fantasmas de Anhatomirim

Fortaleza de Anhatomirim
A Fortaleza de Anhatomirim está localizada na Ilha – Foto: iStock/Divulgação/Educa SC

Os indígenas já previam as coisas terríveis que aconteceriam na Ilha de Anhatomirim quando a nomearam. Em tupi, Anhatomirim significa “a pequena ilha do diabo”. Séculos mais tarde, neste pequeno pedaço de terra, diversas pessoas foram enforcadas e, depois da Revolução Federalista, mais de 180 presos foram fuzilados.

Diz a lenda que até hoje, quem perambula pelas fortificações da ilha depois do entardecer, consegue ver e ouvir os gritos dos fantasmas que foram mortos na terra do diabo.