Não é segredo que a imigração italiana em Santa Catarina foi intensa. Quem nunca ouviu alguém afirmar que é descendente de famílias vindas da Itália? Os colonizadores trouxeram consigo traços da cultura, culinária, arquitetura e linguagem que estão presentes até os dias de hoje em várias cidades catarinenses.

IMIGRAÇÃO ITALIANA
Imigração Italiana no Brasil teve grande impacto na vida dos catarinenses – Foto: iStock/ Divulgação/ Educa SC

Leia mais: Estudo na prática: conheça 7 Fortalezas da Ilha para estudar história em Florianópolis

A maior parte dos italianos que chegaram a Santa Catarina eram do norte do país europeu, principalmente da região de Trento. No início do século 19 foi organizada a primeira colônia no estado, denominada Nova Itália. Porém, por conta de dificuldades, somente quatro décadas depois que um número significativo de italianos chegaram ao Brasil, influenciados pela procura de mão de obra barata após a abolição da escravatura.

Poucas décadas após a sua chegada, no período da Segunda Guerra Mundial, existiam cerca de 100.000 famílias italianas no Estado. A comunidade era tão grande que a Língua Portuguesa não era usada com frequência. Atualmente, calcula-se que os habitantes com ancestrais italianos respondem aproximadamente a metade da população de Santa Catarina.

Os colonizadores e seus descendentes deixaram marcas culturais importantes em Santa Catarina. Quanto mais próximo a população de origem italiana deixava seu isolamento e se integrava com a sociedade brasileira, dezenas de influências começaram a fazer parte da região Sul como um todo.

Nos hábitos alimentares, a ingestão de uva, milho, fumo e vinho passaram a ser popularizados. O vinho, por exemplo, teve tanto sucesso que começou a ser produzido em larga escala, contribuindo para a industrialização do espaço. Houve também o crescimento do consumo de pratos tipicamente italianos como a pizza, spaghetti e polenta.

Na arquitetura, ajudaram a introduzir o modelo e telhado inchado e casas feitas de pedra, as quais são tombadas como Patrimônio Estadual e Federal. Por fim, no ponto de vista linguístico, um novo dialeto brasileiro surgiu: o Talian. Existem mais de 500 mil pessoas que sabem falar a língua atualmente, existindo rádios, sites e publicações que procuram fortalecer essa faceta da influência italiana no Brasil.

Confira 4 cidades de descendência italiana que você precisa conhecer!

1. Urussanga

Urussanga é uma das cidades mais autênticas da colonização italiana em SC. O município foi fundado em 1878 e possui diversas edificações incluídas no projeto Roteiros Nacionais de Imigração, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

São casas, museus, igrejas históricas e propriedade rurais em que a presença italiana está inserida em todos os detalhes. Além disso, por conta da cultura do vinho e do cultivo de uva, a cidade conta com várias cantinas e vinícolas abertas para visitação, em meio a parreirais que cobrem toda a paisagem.

Alguns pontos turísticos de Urussanga:

  • Vale do Rio Maior: comunidade rural onde são encontradas as principais edificações históricas do município.
  • Centro Histórico: ao redor da Praça Anita Garibaldi está o casario histórico do núcleo urbano de Urussanga.
  • Sítio Família Bez Fontana: propriedade de 1927 que inclui sobrado, oratório, serraria e engenho movido por roda-d’água. Tombado pelo Iphan.

2. Nova Veneza

Imigração italiana
Abertas para visitação, as Casas de Pedra fazem parte do Patrimônio Histórico – Foto: Renata Bomfim/Divulgação/ Educa SC

A cidade possui mais de 95% da sua população descendente de italianos. Nova Veneza é considerada “um pedaço da Itália em Santa Catarina” e respira toda a cultura e costumes de seus colonizadores. As opções turísticas contam com edificações centenárias, arquiteturas históricas, museus e turismo religioso.

Alguns pontos turísticos de Nova Veneza:

  • Casa de Pedra: construída em pedra ferro, entre o final do século 19 e início do século 20 pela Família de Luiz Bratti, reúne três edificações, sendo: cozinha, dormitório e estrebaria.
  • Museu do Imigrante: inaugurado em 1991, por ocasião do centenário de colonização do município, o Museu do Imigrante Cônego Miguel Giacca abriga objetos e utensílios que contam a história de Nova Veneza.

3. Orleans

Assim como Urussanga, Orleans faz parte dos Roteiros Nacionais de Imigração do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A cidade possui mais de 100 anos e transpira a cultura e o jeito de viver de seus descendentes.

orleans
Orleans é uma cidade que respira a imigração italiana – Foto: PMO/Divulgação

Alguns pontos turísticos de Orleans:

  • Casa Barzan: edificação de 1929, considerada um monumento nacional da imigração italiana.
  • Igreja Matriz Santa Otília: construída em 1922 no mesmo local onde os colonizadores ergueram a primeira capela do município, em 1886.
  • Museu ao Ar Livre: instituição de caráter tecnológico, histórico e documental que preserva, pesquisa e divulga o patrimônio cultural de diversas etnias, destacando um acervo proveniente da imigração italiana em Orleans.

4. Nova Trento

nova trento
O Santuário Santa Paulina é a principal atração da cidade – Foto: iStock/ Divulgação/ Educa SC

Colonizada por italianos de Trento, Nova Trento é o segundo destino brasileiro que mais recebe fiéis, peregrinos e romeiros. O Santuário Santa Paulina, primeira santa brasileira que chegou no município ainda criança, é o principal ponto turístico do município. Na cidade também ocorre uma das festas mais autênticas da celebração italiana: a Festa Incanto Trentino, com apresentações musicais em dialeto trentino.