O sistema respiratório é um dos 12 sistemas que compõe o corpo humano. No município de Lages, localizado na serra catarinense, alunos do oitavo ano dos Anos Finais do Ensino Fundamental da Escola de Educação Básica (EEB) Visconde de Cairu construíram um pulmão artificial em atividade de ciências para estudar na prática as funções e o funcionamento desse sistema essencial para a vida.

Pulmão artificial criado com materiais recicláveis e de fácil acesso pelos estudantes do oitavo ano do Ensino Fundamental da EEB Visconde de Cairu
Pulmão artificial feito pelos estudantes com materiais recicláveis e de fácil acesso simula as funções físicas e biológicas de um pulmão verdadeiro – Foto: EEB Visconde de Cairu/Divulgação/Educa SC

A atividade, conduzida pelo professor Alessander Correa Xavier, carinhosamente chamado pelos estudantes de “Professor Xavier” – como o famoso personagem dos quadrinhos da série X-Men, da Marvel – foi realizada no período conhecido como “Tempo Casa”, modalidade de ensino que visa reduzir o número de alunos em sala de aula para atender aos critérios de distanciamento social decorrentes da pandemia da Covid-19.

Nesse modelo, os estudantes foram divididos em grupos e a cada semana um grupo realiza atividades presenciais em sala de aula, enquanto o outro recebia os conteúdos e tarefas de forma remota. Desse modo, todos têm a oportunidade de frequentar o ambiente escolar com segurança.

Leia mais: Experiência escolar leva alunos a testar proteína do ovo associada ao vírus da Covid-19

No retorno às atividades presenciais na EEB Visconde de Cairu, os alunos exibiram os resultados do seu trabalho por meio de um seminário apresentado para os colegas, equipe pedagógica e gestora da unidade de ensino.

Para o professor Xavier, ver as proporções que “um simples trabalho” para casa tomou foi extremamente gratificante. “Em época de pandemia e consequências da Covid-19, ver nossos estudantes participando entusiasmados com o conhecimento e aprendizado é impagável para um profissional da educação”, comemora.

Projeto envolve toda família

De acordo com o educador, os pais dos estudantes acabaram se envolvendo com a atividade e relataram ter aprendido muito sobre o sistema respiratório e suas funções.

“Durante a montagem e preparação para o seminário, os pais e familiares dos estudantes através do auxílio para cortar, colar e construir o experimento, despertaram curiosidades e com isso o saber saiu de sala de aula”, conta o professor.

Leia mais: Estudantes constroem cisterna em projeto ambiental escolar

Como funciona o pulmão artificial

O pulmão artificial construído pelos estudantes com materiais recicláveis e de fácil acesso como canudos, garrafas pet, cola quente, balões, elásticos e fita adesiva, simula as funções físicas e biológicas de um pulmão humano de verdade.

Na parte física, segundo o professor Xavier, os canos e canudos encaixados em formato de “Y” representam a traqueia e os brônquios pulmonares, já os balões representam os pulmões e a garrafa pet a caixa torácica.

O fundo dos balões, que é puxado durante o processo e faz o ar entrar e encher as bexigas com o volume, representa o diafragma, músculo importante para a respiração.

Na parte biológica, os alunos visualizaram etapa por etapa o caminho que o ar percorre desde o momento em que entra no organismo pela cavidade nasal.

Atividade educativa

No experimento, o que chamou mais a atenção do estudante Victor Augusto Iuchtenberg de Jesus, 13, foram as consequências provocadas pela inalação de algumas substâncias tóxicas que podem ser encontradas na fumaça do cigarro, por exemplo.

“Foi uma atividade muito educativa, mostrando o que acontece com o pulmão quando usamos algum tipo de cigarro e também como funciona o nosso sistema respiratório”, destaca o adolescente.