Existe alguma receita secreta para formar campeãs? Apesar de ninguém possuir uma resposta concreta para esta questão, o Centro de Educação Profissional (Cedup) Abílio Paulo, em Criciúma, carrega consigo um time de garotas empoderadas que descobriram no esporte uma oportunidade para triunfar, dentro e fora dos tatames.

esporte
O esporte na vida de Diandra se tornou o sonho para o seu futuro – Foto: Cedup Abílio Paulo/Divulgação/Educa SC

Leia mais: Educação empreendedora: alunos desenvolvem produtos de higiene em escola de Imbituba

Fruto de incentivo, preparo e muita dedicação, o caminho de vitórias das meninas não foi trilhado da noite para o dia. Diandra Colombi Zuchinali, 3ª colocada no campeonato Sul Americano de Muay Thai 2021, construiu sua história com muita luta e, principalmente, superação.

“Eu escolhi o muay thai porque foi meu ponto de refúgio. Logo que comecei a praticar, eu tive a perda do meu pai e o esporte foi meu alicerce, foi o modo em que eu achei de fazer aquela dor amenizar um pouco”, relata a estudante.

Colegas de escola e de pódio

Além do Sul Americano, a atleta possui o título de campeã catarinense e conquistou o 1° lugar no evento CBS Girls 2021, no Rio Grande do Sul, sua estreia em competições Semi Profissionais. Este último possui um local especial em seu coração.

Natalia Vicente de Jesus é outro nome que compõe a lista de vencedoras do Cedup. Aos 12 anos, a jovem atleta participou da sua primeira aula experimental de Jiu Jitsu e hoje, quase três anos depois, foi buscar no Rio de Janeiro sua medalha de bronze do campeonato Jiu Jitsu Rio Challenge.

Leia mais: Feira do Conhecimento: a pesquisa como forma de transformação escolar

“Conseguir alcançar o pódio foi uma conquista enorme para mim, um sentimento de alívio que eu nunca vou conseguir expressar. Estar lá em cima me lembrou de como sou guerreira por ter chegado até ali”, expressa.

Incentivo faz a força

Diandra e Natalia possuem um ponto em comum: as duas tiveram o apoio da escola para conseguir patrocínio para suas viagens. Por meio de rifas, pedágios e ações, as jovens atletas chegaram em seus destinos. A recompensa à solidariedade dos amigos, professores e familiares foi a dedicação que sempre tiveram com o esporte, que se transformou em medalha.

“A minha escola teve um desempenho muito importante na minha caminhada. Todas as vezes que precisei estendeu as mãos e me ajudando até em questões financeiras para eu conseguir correr atrás do meu sonho. Eles acreditam muito no meu futuro e sou grata por isso. É muito bom ver que nossas ações geram sentimentos de emoções em outras pessoas”, conta Diandra.

Para a professora de Educação Física Albertina Aparecida Santos que trabalha na instituição desde 2019, o estímulo às práticas esportivas é uma das bases da unidade, levando seus alunos mais perto de seus sonhos.

“A escola proporciona que o aluno participe de todos os torneios possíveis. Quando o estudante não tem condição de ir, fazemos campanhas para patrocinar o custeio da viagem e estadia. Desde escolinhas de futsal, handebol e vôlei até na compra dos melhores materiais, o Cedup sempre incentiva para o melhor, proporcionando lindos momentos de atividade física”, relata Albertina.

Uma possibilidade para o futuro

esporte
O incentivo ao esporte dentro das escolas dá ao aluno oportunidades que ele não exergava antes – Foto: Cedup/ Divulgação

Comparando com outras instituições de ensino que não tem tanto incentivo de ajudar os seus alunos em conquistar aquilo que almejam, Diandra enxerga a importância de estar no Cedup, principalmente porque agora ela tem um caminho para o seu futuro.

“Eu sonho com o esporte como meu futuro todos os dias e vejo que, dia após dia, tudo está se encaminhando para isso acontecer. Pretendo ir muito longe ainda, alcançar o patamar que tanto desejo. Meu nome ainda vai ser muito falado”, fala a atleta, esperançosa por tudo que ainda pretende conquistar.

Além de Diandra e Natália, as estudantes Camile Duarte Valnier e Letícia Pereira Antônio também subiram no pódio. Camile como campeã do Campeonato Rio Challenge.