Como alguém se torna um atleta olímpico? Para Vinícius Klein de Freitas, 17, tudo começa a partir de um sonho. O jovem, que acaba de conquistar a medalha de ouro no Campeonato Sul Americano de Atletismo, no Salto Triplo, carrega a vontade de estar em Paris, nas Olimpíadas de 2024, como representante do Brasil na modalidade.

incentivo ao esporte
Vinicius encontrou no esporte um caminho para traçar a sua vida – Foto: Wagner Camo/ CBAt/ Divulgação/Educa SC

Estudante da Escola de Educação Básica (EEB) Professor Henrique da Silva Fontes, em Rio do Sul, Vinicius iniciou a trajetória nas pistas em 2017, por meio de um convite do professor de Educação Física, Tiago Nunes, da antiga escola onde estudava. A partir desse incentivo iniciou nas provas de 75 e 250 metros rasos, sem saber que aquele apoio do docente iria mudar a sua vida.

Leia mais: “Meninas na Ciência”: uma alternativa para combater a desigualdade na profissão

Vontade de continuar

Com o propósito de se aperfeiçoar na nova paixão, o estudante entrou em contato com a Fundação Municipal de Rio do Sul para praticar atletismo com um treinador especializado. Mas só foi no ano de 2018 que a organização conseguiu um profissional e foi assim que Jeferson Bagatoli começou o treinamento de seu futuro campeão Sul americano de salto triplo.

A modalidade consiste em uma combinação de três saltos sucessivos que terminam com a queda em uma caixa de areia – e possui vários nomes nacionais na elite do esporte mundial -, entre eles Jadel Gregório, ídolo de Vinicius. Antes de se consagrar na modalidade, o triplista conquistou medalhas estaduais nas provas de 100 e 300 metros com barreiras.

incentivo ao esporte
O incentivo ao esporte transformou a vida de Vinicius que hoje é atleta profissional – Foto: Wagner Camo/ CBAt/ Divulgação/Educa SC

Faz apenas três anos do primeiro contato do atleta com o esporte, por conta de uma brincadeira. “Conversei com o meu treinador sobre a possibilidade de fazer a prova e me encantei profundamente. Até hoje eu falo que não trocaria o salto triplo por nenhuma outra modalidade. É uma prova muito bonita de assistir, e, mais ainda, de competir” diz Vinicius.

O inicio de um sonho

Para Vinicius, o Sul Americano foi uma porta de entrada para um sonho maior: as Olimpíadas de Paris 2024. A preparação já começou no ano passado, antes do início da pandemia do novo coronavírus. Em 2021, com a meta de não só chegar até a competição, mas de conquistar pelo menos uma medalha, os treinos foram intensificados e tem dado certo.

Leia mais: Horta escola em Fraiburgo ensina sobre empreendedorismo rural aos alunos

“O sonho de todo atleta é representar seu país. Estar na seleção brasileira é algo único. Subir no local mais alto do pódio, no meu primeiro campeonato internacional e ouvir o hino do meu país, foi muito emocionante e gratificante. O resultado de todos os anos de preparação”, fala o atleta com orgulho.

A “dourada”, como carinhosamente chama a medalha de ouro que conquistou no Paraguai, veio através de uma prova de superação, já que o clima muito quente deixou a prova mais difícil e complicada. Mas a persistência e a vontade de Vinicius de chegar mais perto do sonho prevaleceu e, aos 17 anos, o atleta é campeão Sul americano de salto triplo.

incentivo ao esporte
Atleta conquistou a medalha de ouro no Campeonato Sul Americano de Atletismo – Foto: Arquivo pessoal/ Divulgação/Educa SC

O esporte é uma das principais ferramentas de transformação social, principalmente em comunidades em situação de vulnerabilidade. O atleta acredita que ações de incentivo ao esporte dentro de escolas públicas têm o poder, para além da conquista de medalhas em competições, de mudar a vida de milhares de pessoas, assim como fez com a dele.

“É de extrema importância o incentivo ao esporte. Sou muito sortudo, pois todas as escolas que frequentei sempre me apoiaram muito no atletismo, desde quando iniciei. Muitas vezes não tinha resultados tão expressivos, mas o apoio nunca faltou e isso foi muito importante para o meu desenvolvimento como atleta “, declara.

Leia mais: Setembro Amarelo: a necessidade de conversar sobre saúde mental nas escolas

A EEB Professor Henrique da Silva Fontes acompanha os resultados de Vinicius de perto e celebra com ele suas vitórias. Seja em apoio de viagens ou no reconhecimento de seu esforço e talento, a unidade escolar tem um papel essencial de incentivo na jornada do estudante.

“Com certeza o esporte faz parte de meu futuro, tanto na faculdade quanto nas metas que ainda quero alcançar. Almejo coisas maiores, ano que vem quero estar no mundial sub-20 e em 2024, representar o meu país nas Olimpíadas de Paris. Tenho esse sonho e pretendo alcançá-lo “, deseja Vinicius.