O que fazer com a nota do Enem? No último domingo (28) ocorreu o dia final de provas do Exame Nacional do Ensino Médio e, junto com ele, chegaram as dúvidas de onde e como usar o resultado. Pensando nisso, separamos seis alternativas para você escolher qual encaixa melhor com a sua realidade!

Enem
O Enem é a melhor oportunidades de ingresso em instituições superiores dentro e fora do país – Foto: iStock/ Divulgação/Educa SC

Leia mais: Fuvest 2022: tudo o que você precisa saber sobre a prova

1. Sisu

O Sistema de Seleção Unificada é a forma mais “famosa” de entrada nas universidades do país. O programa, criado em 2010 pelo Governo Federal, seleciona estudantes para instituições federais e estaduais públicas de Ensino Superior. Ocorre duas vezes ao ano, no primeiro e no segundo semestre. Para poder se candidatar, o estudante precisa ter feito o Enem do ano vigente e não ter zerado a redação.

2. Fies ou P-Fies

Você tem vontade de cursar uma faculdade privada e só pagar depois de concluir o curso? Então, o Fies pode ser uma opção para você. Por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou pelo Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) você pode financiar a graduação desejada.

Quem deseja participar do Fies precisa ter realizado qualquer edição do Enem a partir de 2010 e ter obtido médio igual ou superior a 450 pontos, além de não ter zerado a redação.

Além disso, a renda familiar deve ser de até três salários mínimos na modalidade Fies e o aluno tem acesso ao parcelamento com 0% de juros em todas as parcelas. Já no P-Fies, as taxas podem variar de acordo com a instituição financeira que oferece o crédito estudantil e a renda familiar deve ser até cinco salários mínimos.

3. ProUni

Criado em 2004, o Programa Universidade para Todos (ProUni) é uma iniciativa do Governo Federal para facilitar o acesso dos alunos carentes ao Ensino Superior. Para os que não conseguiram se qualificar em instituições públicas, o ProUni oferece bolsas de estudos de 50% ou 100% da mensalidade em faculdades particulares.

Da mesma forma que o Fies, o candidato precisa ter nota igual ou superior a 450 pontos no Enem e redação com nota acima de 0, assim como possuir renda familiar de até três salários mínimos. Além disso, o Ensino Médio precisa ter sido realizado integralmente em escolas públicas ou particulares em condição de bolsista.

4. Sisutec

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica é a possibilidade de entrada mais rápida no mercado de trabalho. O programa foi criado pelo Governo Federal para facilitar o acesso ao Ensino Técnico em instituições públicas e privadas de educação tecnológica.

O processo seletivo é muito próximo ao do Sisu, online e gratuito. Para participar, o candidato deve ter realizado a última edição do Enem, não ter zerado a redação e possuir o Ensino Médio completo.

5. Portugal

Mais de 50 universidades portuguesas aceitam a nota do Enem como ingresso para estudantes brasileiros, entre elas a Universidade de Coimbra, Universidade do Algarve e a Universidade de Lisboa.

O Enem Portugal é um acordo firmado entre o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e as universidades portuguesas.

Por meio deste programa, o candidato interessado em estudar em Portugal precisa ter concluído o Ensino Médio brasileiro e não ter nacionalidade portuguesa ou de algum estado membro da União Europeia.

Bônus: várias universidades dão bolsas de estudos a brasileiros, principalmente em cursos de licenciatura. Candidatos nascidos em Florianópolis, região colonizada por açorianos, possuem desconto na mensalidade na Universidade dos Açores.

6. Universidades fora do Brasil

Além de Portugal, existem várias faculdades ao redor do mundo que oferecem a possibilidade de utilizar os resultados do Enem nos seguintes países: Estados Unidos, Canadá, França, Reino Unido (Inglaterra e Escócia) e Irlanda. Cada país tem exigências específicas.

Na Irlanda é preciso ter Ensino Médio completo, documentação traduzida, passaporte e teste de proficiência em inglês. Na França precisa ter o Ensino Médio completo, ter a documentação traduzida, ter sido aprovado em curso similar no Brasil, teste de proficiência em francês e passaporte.

Já nos Estados Unidos é necessário ter concluído o Ensino Médio, passaporte e teste de proficiência em inglês. No Reino Unido precisa ter o Ensino Médio completo, documentação traduzida, passaporte e teste de proficiência em inglês.