Um projeto escolar realizado na Escola Estadual de Educação Básica (EEB) Barão do Rio Branco, de Urussanga, ensina os alunos sobre o cultivo e o comércio da uva Goethe. A iniciativa, chamada “Barão Sustentável”, valoriza a cultura e a tradição do município – conhecido pela produção de vinhos.

Professora da EBB Barão do Rio Branco, de Urussanga, embaixo de videira de uva Goethe, plantada pelos estudantes em projeto escolar
A uva Goethe é tradicional do município de Urussanga, localizado na região Sul de Santa Catarina – Foto: EEB Barão do Rio Branco/Divulgação Educa SC

O projeto teve início em 2019, quando a EEB Barão do Rio Branco recebeu uma doação de duas mudas de uva Goethe da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), de Urussanga. As mudas foram plantadas em agosto daquele ano em um pergolado no pátio da escola e, com o tempo, começaram a brotar.

No primeiro ano do projeto, as videiras brotaram, mas não produziram uvas. Em 2020, a equipe pedagógica da escola adubou e podou as plantas, porém, por conta da pandemia da Covid-19, os alunos não puderam participar da ação.

Em julho deste ano, a Associação de Pais e Professores (APP) da escola adquiriu mais oito mudas para ampliar o projeto. Dessa vez, os estudantes tiveram a oportunidade de aprender sobre o cultivo da uva Goethe na prática.

Leia Mais: Projeto “Arte na Rua” colore faixa de pedestres em Campos Novos

Alunos da EEB Barão do Rio Branco, de Urussanga, plantando mudas de uva Goethe, em projeto escolar
Alunos aprenderam a produzir novas mudas de videiras em projeto escolar – Foto: EEB Barão do Rio Branco/Divulgação Educa SC

“Os estudantes foram orientados sobre o tipo de solo mais adequado para o plantio, sobre as questões químicas envolvendo as frutas e o solo. Falamos também sobre as adaptações ecológicas da planta em nossa região”, conta a professora de Biologia e Ciências, Sabrina Zanin, principal mentora do projeto.

Tradição familiar

A escolha da uva Goethe tem relação com a história da cidade, reconhecida pela sua produção de vinhos. No entanto, o cultivo desta variedade da fruta também faz parte da história da professora Sabrina. O avô da educadora, Mário Zanin, foi produtor de vinho colonial na região por muitas décadas e passou os conhecimentos da profissão à família.

“Cresci com meus nonos, apanhando o trabalho na roça, e uma das principais rendas da família era a produção de vinho colonial de uva Goethe, entre outras. Então, sempre acompanhei os cuidados com os parreirais: adubação, limpeza, poda, colheita e moenda das uvas. Contar isso aos alunos me enche de orgulho por mostrar minha origem”, conta a professora.

Professora de Biologia e Ciências, Sabrina Zanin, com uma tesoura, podando os galhos da videira de uva Goethe, cultivada pelos alunos da EEB Barão do Rio Branco, em projeto escolar
Professora de Biologia e Ciências, Sabrina Zanin, aprendeu a cultivar a uva Goethe na infância – Foto: EEB Barão do Rio Branco/Divulgação Educa SC

O pai da educadora e ex-aluno da escola, Frederico Zanin, também participou do projeto ensinando os estudantes sobre como podar e plantar os galhos para produzir novas videiras. “Quando o convidei para nos ajudar com o projeto, ele ficou muito feliz e chegou todo empolgado. Os alunos começaram a questionar e a querer fazer como ele mostrou”, relembra Sabrina.

Leia Mais: Alunos constroem pontes com palitos de picolé

Feira empreendedora

Além de ensinar sobre a importância da agricultura, o projeto também tem como objetivo instruir os alunos sobre o comércio da fruta e incentivar o empreendedorismo na escola. A EEB Barão do Rio Branco organiza uma feira empreendedora em que os estudantes vendem produtos feitos por eles mesmos.

No próximo ano, a professora Sabrina Zanin pretende colher as uvas e ensinar os alunos a fazer uma geleia com a fruta. A intenção é fazer com que esse e outros produtos feitos a partir da uva Goethe, cultivada pelos estudantes na escola, possa ser comercializada por eles na feira empreendedora.