Alunos da Escola de Educação Básica (EEB) Prefeito Agenor Piovezan, de Erval Velho, no Meio Oeste de Santa Catarina, visitaram o Teatro Alfredo Sigwald, em Joaçaba, para assistir à apresentação do violinista, Simão Wolf. O show fez parte de projeto multidisciplinar que envolve componentes curriculares de Língua Portuguesa e Literatura, Língua Inglesa, Arte e Educação Física.

Estudante em teatro tirando selfie com violinista
Estudantes da EEB Prefeito Agenor Piovezan, de Erval Velho, assistiram à apresentação de violinista Simão Wolf – Foto: Juliano da Luz

O projeto foi elaborado pela professora de Língua Portuguesa e Literatura, Aline Suzana de Freitas Vaz, em conjunto com professores da área de Linguagens da Base Nacional Curricular Comum (BNCC). A primeira etapa teve início no dia 10 de setembro com visita dos estudantes ao teatro.

De acordo com Aline, a ideia de levar alunos ao concerto musical surgiu como alternativa para motivá-los no retorno às aulas presenciais, após um ano de ensino remoto por conta da pandemia da Covid-19. “Esse contato com a arte neste momento é primordial para que haja um resgate, porque a arte proporciona esse respiro que a gente precisa”, ressalta.

Leia mais: Projeto escolar de Joinville acolhe alunos imigrantes

Projeto explora novidades

O município de Erval Velho, onde está situada a EEB Prefeito Agenor Piovezan, possui cerca de 4.456 habitantes e está localizada a 400 quilômetros de distância da capital do estado de Santa Catarina, Florianópolis. Por esta razão, muitos estudantes não conheciam um teatro, muito menos tiveram a oportunidade de assistir a um concerto musical.

Estudantes da EEB Prefeito Agenor Piovezan, de Erval Velho, em apresentação de violinista Simão Wolf, em teatro de Joaçaba
Alunos visitaram teatro pela primeira vez em projeto multidisciplinar da EEB Prefeito Agenor Piovezan, de Erval Velho – Foto: Juliano da Luz

Para a estudante Marieli Recalcatti, 16, da segunda série do Ensino Médio, a experiência foi emocionante. “Nunca tinha presenciado um show como o do Simão, de violino, com uma banda e tudo. Foi bem emocionante, eu achei incrível”, relembra.

A adolescente conta ainda que, na volta para casa, comentou com colegas de turma sobre as músicas tocadas pelo artista. Simão Wolf tocou canções de desenhos animados e conquistou a admiração dos jovens. “Achei muito legal a atitude dele. O show foi bem interativo, ele contou a história dele e realmente foi uma experiência muito boa, valeu muito a pena”, destaca Marieli.

Leia mais: Escola de Benedito Novo ensina alunos sobre cultivo de abelhas sem ferrão

E tem mais projeto vindo por aí

De acordo com a professora Aline Suzana de Freitas Vaz, o projeto está apenas no começo e deverá continuar até o final do ano letivo de 2021, sendo trabalhado por outros componentes curriculares da área de Linguagens (Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte e Educação Física).

Iniciativa tem por objetivo seguir no ensino híbrido, um modelo de educação que propõe que a aprendizagem deva ocorrer tanto no espaço físico da sala de aula quanto em qualquer outro tipo de ambiente, como, por exemplo, o Teatro Alfredo Sigwald.

Como motivar os alunos no retorno ao ensino presencial?

A comunidade escolar de Erval Velho não está sozinha: a pandemia da Covid-19 afetou estudantes do mundo inteiro. Com o avanço da vacinação e o retorno gradativo das atividades presenciais na escola, é normal que muitos alunos se sintam deslocados e sem perspectiva.

Confira as dicas que o Educa SC separou para fazer a diferença e motivar os educandos na sua unidade de ensino.

Aulas de ioga

O estresse causado por longos meses de isolamento pode tirar a concentração e prejudicar o aprendizado dos estudantes no retorno presencial. Considere trabalhar a prática de ioga em sala de aula. Essa atividade está prevista como conteúdo de Educação Física na BNCC e é uma boa prática para ajudar a recuperar o foco dos estudantes.

Incentive a leitura

Trabalhar projetos multidisciplinares em sala de aula é sempre bem-vindo e acrescenta muito ao aprendizado dos alunos. Envolver a leitura de livros em atividades interdisciplinares desenvolve a criatividade e incentiva os alunos a cultivar o hábito de ler.

Explore novos espaços

Com o ensino híbrido, qualquer lugar pode ser transformado em uma sala de aula. Experimente explorar espaços ao ar livre com os alunos, como os ambientes externos da escola, um parque, um bosque ou até mesmo um teatro.