Arboreto da Escola de Educação Básica General Liberato Bittencourt, de Itá, no Oeste de Santa Catarina, começou a ser implantado por estudantes no Dia da Árvore, em 21 de setembro de 2001. Quase 20 anos depois, o bosque possui mais de 100 espécies nativas da região do Alto Uruguai, entre elas espécies ameaçadas de extinção.

Árvores do bosque de espécies nativas da região do Rio Uruguai da EEB General Liberato Bittencourt de Itá
Bosque da EEB General Liberato Bittencourt, em Itá, começou a ser plantado pelos alunos do 5º ano, no dia Dia da Árvore, em 21 de setembro de 2001 – Foto: EEB General Liberato Bittencourt/Divulgação/Educa SC

O projeto foi uma das primeiras atividades de Educação Ambiental realizada em parceria com o Centro de Divulgação Ambiental da Usina Hidrelétrica de Itá, que promove aulas sobre o meio ambiente para a comunidade do entorno do reservatório.

Leia mais: Projeto “Arte na Rua” colore faixa de pedestres em Campos Novos

As primeiras árvores foram plantadas pelos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental, no Dia da Árvore, em 21 de setembro de 2001, com a orientação da professora de Biologia, Janete Caumo. A partir de então, novas mudas passaram a ser cultivadas todos os anos.

“Tenho alunos que fizeram o primeiro plantio e ainda sabem qual árvore plantaram e onde ela se localiza”, conta Janete, que se aposentou em agosto de 2018, mas continua acompanhando o projeto como amiga da escola.

Menino sentado no chão, plantando árvore no bosque da EEB General Liberatto Bittencourt, em Itá
Bernardo Simon, ex-aluno da EEB General Liberatto Bittencourt, plantou um Araçá no bosque da escola em 2001 – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/Educa SC

Bernardo Simon, ex-aluno da EEB General Liberato Bittencourt, plantou um Araçá (Myrcianthes gigantea) quando tinha 13 anos de idade. Hoje, aos 33, o engenheiro agrônomo ainda se lembra da experiência.

Leia mais: Projeto escolar ensina alunos sobre cultivo de uva Goethe

“Apesar do local onde foi plantada ficar ‘escondido’ pelo ginásio, tenho boas recordações do bosque. Plantar uma árvore é gratificante, o Araçá foi uma das plantas que fez parte da minha infância, por isso a escolha por ela naquela época, é uma planta de bons frutos”, relembra.

Homem com capacete de engenheiro e óculos de sol, sorrindo em frente a um lago
Engenheiro agrônomo, Bernardo Simon, ex-aluno da EBB General Liberato Bittencourt vive em Itá até hoje e é proprietário de empresa na área de meio ambiente – Foto: Arquivo pessoal/Divulação/Educa SC

Importância na conservação

Além de servir como sala de aula ao ar livre, o bosque da EEB General Liberato Bittencourt também funciona como um dos principais pontos de coleta de sementes para a produção de novas mudas do Horto Botânico da Usina Hidrelétrica de Itá.

Jusselei Edson Perin, engenheiro florestal do Centro de Divulgação Ambiental da Usina Hidrelétrica de Itá, que participou dos primeiros plantios junto com a professora Janete e os alunos em 2001, fala sobre a importância para a manutenção da flora regional: “Vai servir de banco de sementes de espécies que estão em perigo de extinção”, explica.