No último domingo (29), um aluno da Escola de Educação Básica (EEB) Professor José Rodrigues Lopes, de Garopaba, venceu a primeira etapa do Circuito Municipal Garopabense de Surf, na categoria sub-12.

Surfistas em cima de um pódio, recebendo a premiação de um campeonato de surfe na Praia da Ferrugem em Garopaba
Estudante Joaquin Boccanera Tamain, venceu primeira etapa do Circuito Municipal Garopabense – Foto: Aquivo pessoal/Divulgação/Educa SC

Joaquin Boccanera Tamain, de 11 anos, subiu em uma prancha pela primeira vez aos 8 anos, em uma brincadeira com o pai, Claudio Boccanera. Desde então, não parou mais. “Eu aprendi a surfar com meu pai, ele um dia me levou para surfar e eu adorei, então, comecei a surfar mais seguido, e assim cheguei onde estou”, conta.

Leia mais: Estudante catarinense vence concurso nacional de redação

A atividade esportiva entrou na vida do jovem como uma diversão e, rapidamente, tornou-se uma paixão. Há dois anos, o estudante compete em campeonatos estaduais como atleta da Federação Catarinense de Surf e conta com o acompanhamento de um treinador para aprimorar a técnica.

Campeão do Circuito Municipal Garobapense de Surf, Joaquin Boccanera Tamain, sendo carregado por várias pessoas na Praia da Ferrugem, em Garopaba, após vencer o campeonato em primeiro lugar na categoria sub-12
Prova foi realizada na praia da Ferrugem, em Garopaba – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/Educa SC

A mãe, Maria Encarnación, diz que o filho gosta de competir. “A ideia dessa competição é dele. Para a gente, às vezes, é complicado, mas ele insiste. É muito dedicado e corajoso. Ter sido campeão esse final de semana foi a recompensa do seu esforço e persistência”, destaca.

Inspirado por grandes surfistas como o bicampeão mundial estadunidense, John John Florence, e o brasileiro, Gabriel Medina, o desejo de Joaquin é tornar-se profissional no esporte.

Leia mais: Estudante catarinense conclui o Ensino Médio aos 73 anos de idade

“Eu sempre falo para ele que primeiro vem o estudo, sem estudo não vai ser profissional. A carreira de um esportista é muito curta, mas, sim, eu vou acompanhar sempre e ajudar ele nessa caminhada”, reforça o pai, Claudio Boccanera.

“Ele vai decidir sempre o que quer fazer. A escolha é dele. Enquanto ele quiser, a gente apoia. Se algum dia ele não quiser mais também vamos a apoiar a decisão. Além de ser um esporte lindíssimo, ao ar livre, total contato com a natureza. Mais saudável que isso não posso desejar. A gente mora num paraíso, onde ele surfa e vê golfinhos, tartarugas e baleias nesta época”, ressalta a mãe, Maria Tamain.