Uma estudante de 73 anos de idade terminou o Ensino Médio no Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), de Taió, no Vale do Itajaí, e ganhou uma homenagem do Governo do Estado. Após receber o diploma, a aluna iniciou curso de informática e pretende se matricular em faculdade de Gastronomia.

Estudante segurando placa que recebeu em homenagem do governo do estado por concluir o Ensino Médio aos 73 anos de idade
Certificado de conclusão do Ensino Médio foi entregue pelo governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/Educa SC

Filha de agricultores, Dona Alvina Tambosi precisou interromper os estudos aos dez anos de idade para ajudar a família na lavoura. Voltar a estudar era um sonho que, aos poucos, a professora de culinária conseguiu realizar.

Agora, a taioense está cursando informática para aprender a digitar seus trabalhos e pretende cursar Gastronomia para se especializar na área em que já trabalha há muitos anos.

Estudante que se formou no Ensino Médio aos 73 anos de idade, com turma feminina no curso de culinária no qual ela é professora
Professora de culinária, Dona Alvina agora pretende cursar Gastronomia – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/Educa SC

Leia Mais: Estudante catarinense vence concurso nacional de redação

Mãe de três filhos, Dona Alvina contou com o apoio da família para finalizar os estudos. Otília Tambosi, uma das filhas da estudante, destaca a garra e o empenho da mãe. “Durante a pandemia, ela era grupo de risco e recebia as atividades em casa. Se ela tinha dúvida nos procurava, mas era ela sempre que queria fazer”, conta Otília.

Leia Mais: Escola de Garopaba oferece aulas de ioga à comunidade escolar

Por conta da determinação, a taioense recebeu do governo do estado uma medalha em cerimônia realizada no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis. O evento aconteceu no dia 11 de agosto, em comemoração ao Dia do Estudante.

“Fiquei muito emocionada na homenagem do governador para receber o meu certificado e a medalha. Eu recebi uma placa, fiquei muito feliz, foi gratificante”, relembra Dona Alvina.