Existem diversos seres vivos que sobrevivem no mar, nos rios ou até mesmo nas lagoas. Para entender e identificar as vidas que estão inseridas no ambiente aquático, os alunos da primeira série do Ensino Médio da Escola de Ensino Básico (EEB) Saul Ulyssea, em Laguna, vivenciaram uma experiência única, investigando o ecossistema da Lagoa de Santo Antônio.

Alunos conhecem o ecossistema da Lagoa de Santo Antônio
Grupo visita a Lagoa de Santo Antônio e conhece o ecossistema da região – Foto: Giovana Martins Duarte

A ideia surgiu com o objetivo de promover a autonomia, além de fazer parte do componente eletivo experimentação e outras práticas investigativas, uma das propostas do Novo Ensino Médio. Além de conhecer o ecossistema da Lagoa de Santo Antônio, os estudantes reconheceram a importância dos organismos que vivem no ambiente aquático (bentos), realizaram atividades laboratoriais, coleta e estudo sobre a poluição.

Antes de colocar a mão na massa, os jovens tiveram três aulas no laboratório, todas com o objetivo de compreender o processo de coleta e reconhecimento do ecossistema. Durante a prática, foram convidados a entrar na lagoa, coletando as próprias amostras – seguindo os protocolos e com os materiais adequados.

“Os alunos pensaram que a coleta seria mais difícil, mas a realização foi produtiva e rápida. Todos os grupos cooperaram e foi uma experiência muito gratificante ver a empolgação durante o trabalho”, conta o professor de experimentações e outras práticas laboratoriais Gabriel da Re Alves.

Após a captação, a atividade ganhou um novo espaço: o laboratório. O primeiro passo foi a separação dos itens e a retirada do lodo – processo feito pelo educador e pelos jovens. O próximo passo foi a identificação e categorização das espécies, levando em consideração o ecossistema que os estudantes conheceram antes da aula prática.

A turma pode reconhecer cinco poliquetas, um dos grupos da macrofauna bêntica. Nos próximos encontros, o foco é comparar o que foi retirado da parte limpa do ecossistema da Lagoa de Santo Antônio e os componentes coletados na região suja, compreendendo o papel da poluição na mudança da vida aquática.

A estrela do mar também é um bento que faz parte do ecossistema
O ecossistema marinho é rico em diversidade – foto: iStock/Divulgação/Educa SC

O que são bentos?

Para que um ecossistema possa funcionar perfeitamente, garantindo a sobrevivência de todas as espécies, existem elementos que precisam estar em harmonia e um deles é o bento, organismo que vive no fundo das lagoas e mares.

Diferentemente dos peixes, eles não nadam. Na maioria dos casos, são encontrados fixos em extremidades. Existem diversas espécies diferentes e a construção do ambiente vai alterar a existência dos grupos. Os pepinos do mar, as estrelas do mar e as esponjas são alguns exemplos de bentos que podem ser encontrados no ecossistema nacional.