A arte do teatro tem o poder de encantar e transportar os espectadores para outras épocas representadas nos espetáculos. Neste ano, para celebrar o bicentenário de Anita Garibaldi, heroína catarinense que obteve destaque na Revolução Farroupilha, alunos do Novo Ensino Médio da Escola de Educação Básica (EEB) Ana Gondin, de Laguna, no Litoral Sul do Estado, realizaram um evento que resgata a história da revolucionária por meio da atuação.

Alunos encenam a Guerra dos Farrapos no teatro em homenagem ao bicentenário do nascimento da heroína catarinense, Anita Garibaldi
Alunos encenam a Guerra dos Farrapos no teatro em homenagem ao bicentenário do nascimento da heroína catarinense, Anita Garibaldi – Foto: EEB Ana Gondin/Divulgação/Educa SC

De acordo com a professora de Educação Física, Carla Flores Silveira, o projeto “Nossa Aninha” começou a ser planejado em agosto, quando os professores da área de Linguagens, que engloba as disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Educação Física e Arte, decidiram abordar a vida de Anita Garibaldi. Já a peça teatral iniciou em 22 de novembro e as apresentações tiveram uma semana de duração.

Evandro da Silva Santos, professor de Educação Física e idealizador do projeto, diz que a atividade foi muito positiva para os estudantes. “Foi importante os alunos terem conhecido e vivenciado a história de nossa heroína, desenvolvendo todo o seu protagonismo de forma prática, despertando sentimentos nunca antes vividos pelos alunos” destaca.

Na parte relacionada à Educação Física, Carla Flores conta que abordou o tema “Anita Guerreira”, trabalhando seus traços e habilidades para a guerra. Já na parte da vida da heroína, a educadora trabalhou os recortes que se destacaram na história dentro do componente curricular Projeto de Vida.

Segundo a professora, a experiência foi muito gratificante e desafiadora. “Levar o estudante a uma releitura de uma personalidade da nossa cultura foi difícil, porque trazer a realidade de 1836 para ser estudada atualmente em disciplinas diferentes requer muito conhecimento e a arte do convencimento. Mas após estes estudantes perceberem o valor cultural do projeto foi muito gratificante ver o olho de cada um brilhando” conta Carla.

A experiência coletiva de fato deixou os alunos maravilhados, a adolescente Emanoella Batista Vicente, 17, faz parte desse grupo de estudantes. A aluna da primeira série do Novo Ensino Médio interpretou uma das Anitas, ao todo foram quatro atrizes, cada uma interpretando uma fase da vida da revolucionária. Emanoella atuou como Anita no contexto da Guerra dos Farrapos.

“Eu amei fazer parte dessa apresentação, nunca tinha feito nada assim, foi uma sensação maravilhosa, um mix de emoções” conta. A estudante nunca havia participado de uma peça teatral e diz que se emocionou com a história de vida da guerreira que teve de se casar aos 14 anos de idade para ajudar a família. “Eu achei muito emocionante, fez a gente sentir a dor dela, ela era só uma criança.”

O projeto encenou ainda outros momentos da vida da heroína, como a ocasião em que ela conheceu o guerrilheiro italiano Giuseppe Garibaldi, na Fonte da Carioca, que abastecia a cidade de Laguna no início de sua colonização. O local que existe até hoje, atrai muitos turistas no Centro Histórico do município.

Anita conhece Garibaldi na Fonte da Carioca
Representação do encontro de Anita e Giuseppe Garibaldi na Fonte da Carioca – Foto: EEB Ana Gondin/Divulgação/Educa SC

A heroína dos dois mundos, como ficou conhecida após lutar pelos ideais de liberdade na América do Sul e na Europa, apaixonou-se pelo revolucionário com quem teve quatro filhos e lutou ao lado dele até sua morte em 4 de agosto de 1849. Outro momento retratado no teatro dos estudantes foi entre os dois.

Leia mais: Projeto multidisciplinar leva alunos de escola rural pela primeira vez ao teatro

O último ato da peça teatral da EEB Ana Gondin, abordou a Revolução Farroupilha, movimento que teve origem no Rio Grande do Sul durante o Período Regencial e que quase alterou de maneira permanente a formação do território brasileiro.

Emanoella Batista Vicente e Bryan da Silva Alves
Os estudantes Emanoella Batista Vicente e Bryan da Silva Alves com guardiã do Instituto Cultural Anita Garibaldi – Foto: Acervo pessoal/Divulgação/Educa SC

Bryan da Silva Alves, 17, aluno da primeira série do Novo Ensino Médio, interpretou um dos guerreiros farrapos e diz que se emocionou com a apresentação. “Foi uma experiência muito boa, fantástica. Eu adorei ter participado desse projeto porque Anita Garibaldi significa muito para mim, interpretar os farrapos foi uma emoção enorme porque eu sempre quis me envolver com o projeto atuando como farrapo.”

Além da idade da guerreira, apenas uma menina quando teve de se casar pela primeira vez, o que mais impressionou o estudante no teatro foi o momento em que os guerreiros farrapos liderados por Giuseppe Garibaldi, apoiaram a heroína na luta contra os guerreiros do Império.

“Achei incrível os farrapos indo ajudar Anita na guerra, me chamou muito a atenção o dia em que Anita conheceu Garibaldi na Fonte da Carioca. Ela estava indo pegar um pouco de água e ele avistou uma linda moça, se aproximou e pediu um copo de água”, conta o estudante, que finalizou sua apresentação com uma linda dança tradicional da época que representa a liberdade, principal ideal defendido pela guerreira Anita Garibaldi.

O teatro como ferramenta para o aprendizado

O teatro é um importante recurso didático pedagógico para o aprendizado dos estudantes. A experiência dos alunos do Novo Ensino Médio da EEB Ana Gondin é um exemplo disso, pois além de resgatar a memória da revolucionária catarinense, os alunos aprenderam a trabalhar em equipe e tiveram contato com novas habilidades que não haviam trabalhado antes.

De acordo com o professor Evandro, ao todo, um grupo com 24 alunos realizou 42 apresentações e 20 momentos de exposição no projeto. Os estudantes construíram também uma sala temática no espaço da biblioteca escolar. Objetos do cenário como painéis, folhas de árvore, canhões, fogão a lenha e demais utensílios foram todos confeccionados pelos adolescentes com a supervisão e ajuda dos professores.