Terremotos, furacões, erupções vulcânicas. Todos os anos nos deparamos com notícias de desastres naturais acontecendo ao redor do mundo. Aprender sobre esses fenômenos faz com que novas medidas possam ser tomadas para reduzir ou evitar os impactos causados por eles.

Leia mais: Projeto escolar promove a interação entre alunos e cavalos

Em atividade prática os estudantes aprendem sobre os desastres naturais
Em atividade prática, os estudantes aprendem sobre os desastres naturais – Foto: Jonatan Fernandes do Prado

Por isso, durante as aulas de ciências da Escola de Educação Básica (EEB) Professor Argeu Furtado, de São Cristóvão do Sul, os alunos simularam um tornado em um pote para aprender na prática sobre as catástrofes.

Devido a localização e as mudanças climáticas, Santa Catarina está entre os estados brasileiros que mais sofreram com desastres naturais, como enchentes, deslizamentos de terra e ciclones.

Apesar de muitas vezes serem inevitáveis, é necessário aprender a se preparar e saber as ações que devem ser tomadas para cada tipo de fenômeno. Pensando nisso, a Defesa Civil disponibilizou cursos para que os alunos do Estado aprendam sobre os desastres com o projeto Defesa Civil na Escola.

Os estudantes da EEB Professor Argeu Furtado aprenderam a avaliar os impactos provocados por catástrofes naturais nos componentes físicos, biológicos e sociais que um ecossistema pode afetar sua população. Para ajudar ainda mais na compreensão da disciplina, o professor Jonatan Fernandes do Prado propôs uma atividade científica que simulasse na prática o fenômeno natural.

"Tornado no pote": alunos aprendem sobre desastres naturais na prática
“Tornado no pote”: alunos aprendem sobre desastres naturais na prática – Foto: Jonatan Fernandes do Prado

Com apenas três ingredientes (água, vinagre e detergente) e um vidro de conserva transparente, os alunos recriaram um “tornado” dentro do recipiente. Os estudantes adicionaram a água ao pote, logo em seguida acrescentaram uma colher de detergente e uma de vinagre, fecharam o porte e criaram movimentos giratórios para formar o “tornado”. O uso do detergente faz com que o fenômeno fique visível.

“Eles ficaram impressionados em saber que apenas dois ingredientes seriam capazes de fazer um efeito diferente do que usando apenas água, em que eles foram induzidos pela curiosidade para saber mais sobre esses fenômenos que estamos trabalhando com eles.”, comenta o professor de ciências.