O Novo Ensino Médio será aplicado em todas as 711 escolas estaduais de Santa Catarina, a partir de 2022. A mudança está prevista em lei e tem por objetivo ajudar os estudantes na decisão sobre qual caminho seguir após a conclusão dos estudos. Atualmente, 120 unidades de ensino do estado aplicaram o modelo em formato piloto.

Alunos reunidos no pátio da escola
Novo Ensino Médio visa aproximar estudantes do mercado de trabalho – Foto: iStock/Divulgação Educa SC

Veja o que muda na educação em Santa Catarina com a implementação do Novo Ensino Médio:

Carga horária

O Ensino Médio atual possui uma carga horária de 800 horas por ano, o novo modelo irá ampliar o tempo mínimo do estudante na escola para 1.000 horas anuais, o que resulta em 3.000 horas ao longo dos três anos. Durante esse período, o aluno terá autonomia e poderá optar por uma formação profissional e técnica.

Currículo

No Novo Ensino Médio, o currículo escolar terá uma parte dedicada à formação geral básica, com componentes curriculares fixos, como Língua Portuguesa, Matemática, Filosofia e História, e outra destinada aos chamados “itinerários formativos”, que são disciplinas que o aluno pode optar cursar de acordo com seu interesse.

Entre as opções de “itinerários formativos” estão as trilhas de aprofundamento, em que os alunos podem optar por se aprofundar em uma das áreas do conhecimento (Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas).

Além disso, os estudantes podem também escolher por cursar uma segunda língua estrangeira, além do inglês, ou participar do Projeto de Vida, uma disciplina com carga horária semanal de duas horas voltada para conversa com o professor sobre planos de carreira e formação profissional.

Estrutura

Para que as mudanças previstas no Novo Ensino Médio sejam implementadas com sucesso pelas escolas, é preciso que as unidades de ensino tenham uma estrutura adequada para tornar o ambiente escolar mais atrativo para o estudante que irá permanecer mais tempo em sala de aula, de acordo com a nova carga horária.

Além disso, para garantir a oferta de todas as disciplinas do novo currículo, é necessário que as instituições de ensino tenham espaços e equipamentos adequados para serem utilizados durante as aulas pelos estudantes.

Para suprir esta demanda, o governo estadual irá investir em laboratórios, equipamentos e também na capacitação de professores, visando despertar nos estudantes o gosto pelos estudos.