Em um mundo cada vez mais desafiador é papel das escolas preparar os estudantes para encontrar soluções inovadoras para possíveis problemas que poderão existir no futuro, como escassez de água potável, risco de insegurança alimentar e o aumento das inundações e do nível do mar – consequências causadas pelas mudanças climáticas.

Estudantes da EEB Gregório Manoel de Bem, de Laguna, confeccionaram jogos de raciocínio lógico com materiais recicláveis
Estudantes da EEB Gregório Manoel de Bem, de Laguna, confeccionaram jogos de raciocínio lógico com materiais recicláveis em oficina – Foto: EEB Gregório Manoel de Bem/Divulgação/Educa SC

Desenvolver o raciocínio lógico na educação permite que o aluno resolva problemas, melhore o seu desempenho e crie gosto pelo aprendizado, por isso é imprescindível que as escolas invistam em técnicas para estimular essa habilidade.

Jogos de tabuleiro como xadrez e dama, além de outros jogos de estratégia que estimulam o raciocínio lógico, são uma alternativa divertida e criativa para despertar o interesse nos alunos, foi o que descobriu a professora de matemática, Bárbara Beatriz da Silva Domingos, da Escola de Educação Básica (EEB) Gregório Manoel de Bem, de Laguna, no litoral Sul de Santa Catarina.

A educadora trabalha o componente curricular Jogos de Raciocínio Lógico na unidade de ensino com os alunos da primeira série do Novo Ensino Médio. Na disciplina eletiva, os estudantes aprendem a resolver problemas pensando em estratégias para vencer os jogos de xadrez, dama e sudoku.

De acordo com Bárbara, os jogos de estratégia contribuem para o aprendizado dos alunos auxiliando na concentração durante as atividades e despertando o gosto pelo raciocínio que, às vezes, não aparece nas aulas regulares.

No mês de outubro, a escola teve um campeonato de xadrez e os alunos tiveram a oportunidade de testar as suas habilidades. Além da competição, os estudantes também participaram de uma atividade em que cada um confeccionou o seu próprio jogo com materiais recicláveis. Em seguida, fizeram uma oficina com os alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e explicaram como funcionava os jogos e as regras.

Campeonato de Xadrez na EEB Gregório Manoel de Bem
Campeonato de xadrez, além de desenvolver as habilidades cognitivas, aproxima alunos dos professores – Foto: EEB Gregório Manoel de Bem/Divulgação/Educa SC

Para a professora Bárbara que, até então, só havia ministrado o componente curricular de Educação Financeira para os alunos do Novo Ensino Médio, a experiência foi positiva. Segundo ela, os estudantes tiveram uma melhora no desempenho em sala de aula. “Eu percebi a mudança logo após a eletiva de Educação Financeira, em que os alunos despertaram para a disciplina de matemática e com eletiva de jogos só veio a acrescentar essa mudança”, conta.

Adriana Araújo Leal, gestora da EEB Gregório Manoel de Bem, afirma que o componente curricular fortalece o vínculo entre estudantes e professores . “O ponto principal para que a atividade aconteça é a importância da escuta dos alunos, partindo dos seus interesses. Além do vínculo positivo nas relações entre alunos e professores, nos jogos são desafiados constantemente por problemas que lhes são significativos e estimulados a pensar rápido e a traçar inúmeras estratégias para conseguir atingir os objetivos”, destaca.